Skip to main content

Com demissão de Sampaoli, Flamengo atinge valor astronômico em multas de treinadores desde 2020

Flamengo se complica com o pagamento de grandes multas rescisórias

Mais uma vez, o Flamengo demite seu treinador e não consegue realizar uma temporada completa com um único comandante. O rubro-negro chega a incríveis sete técnicos diferentes desde a saída de Jorge jesus, em 2019. Com o valor pago a Jorge Sampaoli, o time carioca chega a marca R$ 46,5 milhões em multas rescisórias neste recorte.

Rodolfo landim presidente do flamengo
Imagem: rafael ribeiro/cbf

A primeira multa paga após a saída de Jorge Jesus foi a do espanhol Domenéc Torrent, que não desempenhou um bom trabalho e deixou o Rio após receber R$ 11,4 milhões. Rogério Ceni foi seu sucessor e, apesar de conquistar o Brasileirão de 2020, foi demitido ao fim da temporada com R$ 3 milhões a mais na conta.

Publicidade

Já em 2022, o Flamengo optou por não continuar com Paulo Sousa e teve que desembolsar R$ 7,7 milhões ao treinador. O próximo a receber dinheiro do time carioca foi Vitor Pereira, que levou o maior valor de todos até o momento: R$ 15 milhões. Agora, com a saída de Jorge Sampaoli, os dirigentes realizam um depósito de R$ 9,5 milhões ao argentino, totalizando R$ 46,5 milhões gastos nos últimos três anos com fracassos de treinadores.

Neste recorte, o Flamengo não pagou multas a Dorival Júnior e Renato Gaúcho. O primeiro nome chegou para o lugar de Paulo Sousa, em 2022, e levou o time as conquistas da Libertadores e Copa do Brasil. Mesmo assim, a diretoria optou por não renovar o vínculo com o agora técnico do São Paulo. No caso de Portaluppi, chegou a decisão do maior torneio do continente em 2021 e também não renovou o contrato.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade